Os 10 Melhores Filmes de 2017

Os 10 Melhores Filmes de 2017

Foi um ano interessante para o cinema. Após o fiasco do Oscar que acabou o tornando o mais marcante dos últimos anos tivemos o terror consolidando seu retorno a forma, franquias nascendo, outras morrendo, outras finalizando da melhor maneira, outras se revitalizando.

Infelizmente, essa lista não contempla alguns dos grandes lançamentos de 2017 como "Lady Bird", "Coco", "The Florida Project", "Call Me By Your Name" e outros, pois não conseguimos assisti-los ainda devido ao atraso da distribuição deles para o Brasil.

Estes são os 10 melhores filmes de 2017 que foram lançados em 2017 no Brasil, onde, infelizmente, "Transformers" estreia com antecedência e filmes de verdade apenas meses depois.


SPLIT.jpg

10

"Bingo: O Rei das Manhãs"

leia a crítica

Dirigido por Daniel Rezende, o representante brasileiro no Oscar de 2018 sucede em coisas que a grande maioria dos filmes nacionais não consegue. Ritmo, montagem, design de produção, construção de mundo, o balanço entre sucesso e fracasso, é tudo feito com maestria e, ao centro de tudo, está a excelente atuação de Vladimir Brichta, comandando o show não apenas como o palhaço Bingo, mas como um personagem repleto de camadas que consegue flutuar de forma eficiente em todas elas. 


SPLIT.jpg

9

"mãe!"

leia a crítica

Passados meses de discussão e interpretação acerca de seus mais profundos significados, a mais nova obra de Darren Aronofsky já se provou um dos filmes mais polêmicos de todos os tempos. Não existe meio termo com "mother!", ou você ama ou odeia e qualquer uma das reações é perfeitamente entendível. Inegável no entanto é a qualidade técnica, que coloca Jennifer Lawrence no centro da narrativa por meio e a mesma não decepciona, entregando uma das performances mais carregadas e enervantes de 2017. Você pode não gostar deste filme, mas seu impacto é gigante.  


SPLIT.jpg

8

"Planeta dos Macacos: A Guerra"

leia a crítica

A conclusão da terceira melhor trilogia do século 21 até agora ("Senhor dos Anéis", "Batman" de Nolan) traz tudo que os fãs da franquia podiam esperar. Andy Serkis talvez nunca tenha estado tão bem na técnica em que é mestre e a construção de Caesar o torna um dos personagens mais bem elaborados dos últimos anos. O roteiro é conciso e além de levantar questões enervantes sobre a humanidade, consegue tanto dar um fim para a trilogia como funcionar por conta própria, abrindo espaço para continuações futuras que, nesse caso, seriam bem vindas.


7

"Fragmentado"

leia a crítica

Bem sucedido é o filme que consegue fazer de seu vilão seu fator mais interessante. Contando com uma atuação sensacional de James McAvoy dando vida a um personagem com 24 personalidades e trocando entre elas com um realismo assombroso e outra excelente performance da jovem talentosa Anya Taylor Joy, "Fragmentado" eleva o nível de seu suspense e curiosidade a cada momento. Além disso, é o melhor filme de Shyamalan em anos e dá vida à uma inesperada trilogia que se iniciou com o ótimo "Corpo Fechado", de 2000,e continua com "Glass", em 2019. 


6

"Baby Driver"

leia a crítica

Talvez o filme mais divertido do ano, o longa dirigido Edgar Wright revigora um gênero que a cada ano mais parece uma repetição do anterior. A originalidade não está na história e sim na forma como ela é contada, contando com excelentes interpretações de Ansel Elgort e Lily James como casal principal, uma qualidade técnica excepcional e uma trilha sonora diferente e maravilhosa, o filme é uma obra da visão de seu diretor, que tem como a criatividade seu principal forte. 

Ah, também foi o último filme de Kevin Spacey antes de se descobrir seus comportamentos impróprios, então é algo para ficar marcado na memória dos fãs do ator que puderam acreditar por tantos anos que a única coisa diferente sobre ele era seu talento. 


SPLIT.jpg

5

"Logan"

Nos últimos anos a indústria cinematográfica tem produzido tantos filmes de super-herói que em algum ponto as produções do gênero ficaram completamente formulaicas e previsíveis. Para cada três ou quatro lançamentos, apenas um é consideravelmente bom. De vez em quando, algum é excepcional. Esse é o caso de "Logan".

O filme que tinha como missão encerrar o ciclo de Hugh Jackman como Wolverine nas telas o fez com classe, qualidade narrativa e alto nível de cinema. O filme está muito mais preocupado em contar a história de seu protagonista e dar a ele um fim digno de sua trajetória do que em criar grandes sequências de ação blockbuster. Mesmo assim, quando tem ação, ela é ótima - vantagem obtida pela sábia da decisão de subir a classificação do filme para 18 anos e assim dar liberdade criativa ao longa. "Logan" é um filme sombrio, denso e árido, mas que tem a medida certa de sensibilidade e emoção para construir o final perfeito para um grande herói.


4

"Dunkirk"

leia a crítica

Dunkirk é um filme corajoso para Cristopher Nolan pela humildade que o diretor adota no longa. Não há um grande roteiro, uma viagem no espaço-tempo, por dentro da mente ou fabulosos truques de mágica. Ao dirigir seu primeiro filme baseado em um fato histórico, o diretor escolheu a modéstia no roteiro e apostou em criar uma atmosfera e transmitir ao espectador o clima da guerra ao invés de contar uma história complexa sobre personagens durante o evento.

O filme mostra a guerra de maneira macro: diferentes lados, diferentes vertentes, responsabilidades, missões e sentimentos. Apesar de, por isso, pecar no desenvolvimento dos personagens, o que faz com que o espectador invariavelmente se importe um pouco menos com eles, o filme é milimétrico nos aspectos técnicos para emular a ameaça iminente na praia de Dunquerque. Cinematografia esplêndida, muitos efeitos orgânicos, crueza perfeccionista na direção de arte e design de som impecável. Com tudo isso, Nolan consegue dar essa visão ampla da dor, da tensão e da impotência, muitas vezes, de se estar em meio à guerra.


SPLIT.jpg

3

"Star Wars: Os Últimos Jedi"

leia a crítica

Controverso como apenas os grandes filmes podem ser, o oitavo episódio da saga de filmes mais bem sucedida de todos os tempos é uma maravilha que sim, possui falhas, mas novamente dá uma aula de como se dar sequência à uma trilogia. Rey já se tornou uma paixão platônica para milhões de jovens mundo afora, Poe um substituo a altura de Han Solo, Kylo Ren o melhor vilão desde Vader e Luke se torna talvez o personagem mais complexo e emocionalmente bem trabalho de toda a franquia. São diversos momentos de tirar o fôlego, que compensam por problemas de ritmo que o filme apresenta. A dica é deixar de ser chato e aproveitar esta que já é uma das melhores trilogias do século 21. 


2

"Corra!"

leia a crítica

É difícil determinar qual o principal forte de "Corra!". Seja o roteiro repleto de twists inimagináveis conduzidos da melhor forma por Jordan Peele, as performances excepcionais de Daniel Kaluuya e Allison Williams nos papéis principais, a tensão crescente sem nunca perder o tom comicamente irônico, a subjetiva e provocante linguagem simbólica acerca do racismo nos Estados Unidos ou a própria premissa que acaba se tornando ainda mais interessante visto o contexto onde a América se encontra.

"Corra!" é original, inteligente, provocante e extremamente divertido, mas mais do que isso, é um filme necessário, tanto para o cinema como para a sociedade. Precisamos de mais filmes assim, urgente. 


1

"Blade Runner 2049"

leia a crítica

Continuar uma obra prima de 35 anos atrás é uma tarefa difícil. Principalmente quando este filme, por si só, já causou uma polarização entre fãs e críticos quando foi lançado, atingindo seu status de clássico décadas depois. Mas Denis Villenueve se prova um dos diretores mais talentosos de hoje em dia, não apenas nos levando de volta àquele detalhado e espetacular mundo, mas expandindo todos os seus principais conceitos e dando novas dimensões a assombrosa pergunta que movia seu antecessor. Afinal, o que é ser humano? 

Ryan Gosling está mais uma vez muito bem e o retorno de Harrison Ford é gratificante. A criação de mundo é uma das melhores que o cinema já viu, os efeitos especiais excedem em todas as escalas e a trilha sonora de Hans Zimmer é, mais uma vez, um espetáculo a parte. 

Blade Runner 2049 não apenas se iguala ao original, mas pode muito bem superá-lo assim que o tempo permitir que o absorvamos da melhor forma. Uma obra prima da ficção científica.  

 

"Pantera Negra: o Álbum" já tem 3 singles - ouça

"Pantera Negra: o Álbum" já tem 3 singles - ouça

Guardiões da Galáxia e coisas que você não sabe - ou sabe?

Guardiões da Galáxia e coisas que você não sabe - ou sabe?