Crítica | One Day At a Time (2ª Temporada)

Crítica | One Day At a Time (2ª Temporada)

MV5BMTU2OTQ5NDY5Nl5BMl5BanBnXkFtZTgwNTE2NzU2NDM@._V1_.jpg

Em sua segunda temporada, “One Day At a Time” continua trazendo uma profundidade emocional gigantesca para uma sitcom, abordando problemáticas da vida real.

A temporada inicia-se de forma leve e bem humorada, porém nem por isso deixa de lado suas críticas sociais. Logo no primeiro episódio são abordados temas como xenofobia, racismo e colorismo. E com o desenrolar da trama, aumentam as questões de vital importância social discutidas na série. Temos um discurso importantíssimo sobre controle de armas no 5º episódio “Locked Down”, além uma abordagem extremamente respeitosa e educativa sobre não-conformidade de gênero no episódio "To Zir, With Love”.

Também são muito claras as alfinetadas ao atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e suas medidas políticas anti-imigratórias. A personagem Elena (Isabella Gomez) reforça a importância do voto, que é facultativo nos EUA, como um método importante que poderia ter prevenido “aquele monstro na Casa Branca”. Inclusive, a temporada estreiou durante a discussão do Congresso americano sobre as mudanças nas políticas de imigração.

No entanto, apesar das críticas ao governo, a série ainda é extremamente patriota. Infelizmente o patriotismo é acompanhado de uma forte propaganda americana, e faz questão de demonizar a todo custo a história cubana em seus âmbitos políticos e sociais. É compreensível por ser uma visão estado-unidense, mas esperava-se que por abordar a cultura latino-americana, a série evitasse cair no estereotipo clichê de “branco salvador.”

Captura de Tela 2019-03-05 às 22.47.20.png

Porém, fomos agraciados também com mais tramas românticas do que a temporada anterior. Vemos Elena e Penelope (Justina Machado) entrando em relacionamentos sérios. A adição dos pares românticos de ambas foi bem certeira e necessária para a evolução das personagens. Também tivemos um maior entendimento dos pormenores da relação entre Lydia (Rita Moreno) e o Dr. Berkowitz (Stephen Tobolowsky).

odaat_203_unit_01060r.jpeg

O grande destaque da temporada, assim como sua predecessora, foi o season finale. Mesclando humor e drama, o episódio final "Not Yet” brinca com as emoções do espectador mostrando como cada personagem é necessário e essencial para a trama.

A temporada flui de forma emocionante e divertida e prova que “One Day At a Time” é capaz de desbancar muitas comédias atuais com sua sensibilidade e humor.

9

Crítica | Station 19 (1ª Temporada)

Crítica | Station 19 (1ª Temporada)