Crítica | Game of Thrones (6ª Temporada)

Crítica | Game of Thrones (6ª Temporada)

O que esperar da primeira temporada de Game Of Thrones que não seguiria os livros. Os roteiristas teriam plena liberdade com a série, claro que consultando George RR Martin. A quinta temporada, pelo menos pra nós, foi aquele chove mas não molha, como sempre ótimo, mas longe do nível dos melhores momentos da série. Posso afirmar após domingo que a Season 6 foi a minha favorita de todas.

A aceleração tomada aqui foi o que deixou tudo tão interessante. O fato dos roteiristas contarem mais histórias em menos tempo deixou tudo tão dinâmico e com tanta coisa importante acontecendo que não teve um episódio que após o final, eu não tenha falado ''wow'' e ficado em silêncio assimilando o que tinha acontecido. Sério, o lance do Hold the Door me fez ficar em choque, e foi um dos diversos pontos fortes da temporada.

Porém, o foco aqui vai pro final, porque afinal: o final é o final. Então, se você ainda não acabou de ver a sexta temporada. pare por aqui. Esse é o seu alerta de Spoiler!

Alerta de Spoilers dado. Nós avisamos!

Além da Arya virando o Batman, que falaremos depois, nós precisamos falar da Batalha dos Bastardos, e finalmente Ramsay Bolton recebeu tudo que merecia. A batalha superou os níveis de qualidade existentes. Foi intenso e grandioso, sem deixar que nenhuma expectativa, nem a mais alta fosse o suficiente para dizer que algo ali não foi extraordinário. Com certeza foi a melhor batalha da série. Só demos azar que Rickon só sabe correr em linha reta. 

Além de todo CGI excepcional, vimos também que Ramsay é mais estrategista que o melhor jogador de xadrez do mundo. Estávamos convencido que era uma luta parelha, mas o jeito que o exército comandado por Jon foi encurralado foi, de fato, algo muito inteligente. Sorte que literalmente no ultimo minuto Sansa e Littlefinger chegaram com os soldados do Vale. E, com toda certeza, eu queria ter visto Ramsay Bolton sendo destruído por seus cachorros. Quero dizer, presenciamos Oberyn morrer. Queria ver o que Sansa viu e ficaria com o mesmo sorriso amarelo. Lição do dia? Alimente seus bichos de estimação

Agora, sabemos que, historicamente, o nono episódio tende a ser o melhor da série, seja pelas reviravoltas ou novos rumos que são tomados a partir daquele momento; mas o nível aqui era muito alto para o auto contentamento. A montanha evitando que Tommen saísse de seu aposento foi o suficiente para sabermos que seria diferente: ''Cara, o que a Cersei fez..?''

Maester Pycelle é morto pelas crianças, e a tensão gradativa já havia tomado conta do telespectador, sem o mesmo nem se dar conta. E quando, por fim, Lancel Lannister é apunhalado em uma caverna e vê todo aquele fogo vivo e uma vela pronta para acabar, foi só o tempo de pensar: Oh My God. Septões, os Tyrells e muita gente morta. Sem entrar em gostos por personagens, Joffrey nunca ia deixar alguém tomar conta da cidade como o alto pardal tomou. Prêmio banana do ano pra você, Tommen. O pior aqui é que, no fim das contas, o sentimento era de felicidade pela personagem de  Lena Headey (Cersei). Todo aprofundamento e desenvolvimento fizeram com que torcêssemos pra ela (vamos la, vocês sabem que estavam).  Odiamos amar ou amamos odiar Cersei Lannister, não sabe-se qual, mas é um dos dois. Não espere nossa simpatia season que vem.

E no final das contas, não existe alguém mais legítimo ao trono que Jon Snow! E existe alguém mais honroso que Ned Stark? Sabendo que Rober Baratheon mataria ao certo a criança, como último pedido da irmã Ned, botou o casamento e a honra em jogo para proteger o seu ''bastardo''. Targeryan rules the north.

Por fim, o quão incrível foi a cena da Arya. A garota realmente está riscando os nomes da lista. A Batman de Winterfell se disfarçou de serviçal e quando revelou sua identidade, a única reação foi ficar sem reação! Sorrateira e sutil,  Arya se transforma em uma das personagens mais divertidas do programa. 

GoT vai finalmente entregando tudo que foi prometido após toda espera e todas histórias em constante desenvolvimento. Daenerys e seus barcos indo tomar King's Landing, Arya e sua vingança, Jon e sua linhagem e Bran sendo o corvo de três olhos. A melhor série da televisão junto com Mr.Robot tomou seu ritmo, acelerado no caso, e estando em sua teórica reta final, satisfez cada vez mais nessa sexta temporada. 

Meus palpites para a próxima temporada é que todos aceitem que a verdadeira merecedora do trono é Lady mormont. Brincadeiras a parte, que garota sensacional. Entreguem tudo pra ela, dragões, exércitos, navios, e vejam ela fazer mais um discurso épico! Ah, e a Cersei não passa da próxima season.

10

Crítica | 3% (2ª Temporada)

Crítica | 3% (2ª Temporada)

Crítica | Better Call Saul (2ª Temporada)

Crítica | Better Call Saul (2ª Temporada)