Crítica HQ | Loki: Agente de Asgard - Confie em mim

Crítica HQ | Loki: Agente de Asgard - Confie em mim

LOKI CAPA.jpg

“Loki: Agente de Asgard – Confie em mim” (2017) é uma reedição, em capa dura, das cinco primeiras edições da publicação “Loki: Agent of Asgard”, de 2014. A HQ, que conta com 124 páginas, traz um jovem Loki, que realiza missões para as três mães supremas de Asgard, para assim, elas apagarem as memórias do universo sobre as antigas peripécias do Deus da Trapaça.

É incrível o efeito que o Universo Cinematográfico da Marvel está causando nas novas histórias em quadrinhos da editora. Cada vez mais os roteiristas estão observando a reação do público para com as personagens cinematográficas. Neste caso, o efeito Tom Hiddleston gerou uma nova visão à casa das ideias.

Nas HQ's nórdicas da Marvel, os deuses sempre voltam a vida após morrerem. Seja pelo Ragnarok ou por algum outro motivo. Em “Loki: Agente de Asgard – Confie em mim”, o Deus da Trapaça é jovem e bonito – vide Tom Hiddleston. Contudo, ele é consciente do seu antigo eu, e por isso quer ter uma nova chance e apagar da memória de todos, os males que já causou. As mães supremas prometem a Loki apagar uma de suas memórias para cada missão que ele realizar a elas. É aí que a história começa.

O personagem não perdeu sua essência. O Deus continua trapaceiro, realizando o possível e impossível para conseguir seu objetivo.

A HQ conta com a participação de personagens cruciais para a trama de Loki. Sendo algumas de suas missões: conseguir o sangue do seu irmão, Thor, o que o leva a se infiltrar na Torre dos Vingadores. E levar a irresistível Lorelei de volta à Asgard. Por fim, o trapaceiro acaba se rebelando contra as três mães supremas, que despertaram o antigo Loki. Isso faz com que o Deus da Trapaça reúna uma aliança com Thor, Lorelei e Verity Willis (uma mulher que tem um sensor humano contra mentiras).

LOKI INVADE VINGADORES.jpg

O visual de Lee Garbett funciona bem dentro da trama. Falando em trama, o roteiro de Al Ewing é um ótimo entretenimento para uma HQ, que reinventou a personagem, mas sem perder o que ela realmente é.

Apesar de ser uma história que conta com inúmeras edições a mais (esperamos que sejam relançadas em capa dura também), “Loki: Agente de Asgard – Confie em mim” é uma ótima oportunidade para aqueles que querem começar a ler HQ’s.

9

Crítica | Darth Plagueis

Crítica | Darth Plagueis

Crítica HQ | Deadpool massacra o universo Marvel

Crítica HQ | Deadpool massacra o universo Marvel