Crítica | A Origem

Crítica | A Origem

Inception Poster

2010 não estava sendo um ano muito bom para o cinema, e o Último Dobrador de Ar e Robin Hood estão la, na memória de quem os viu para provar isso. Mas, como a vida é linda, os pássaros cantam domingo de manhã e Steph Curry joga basquete (that finals choke though), lá estava Christopher Nolan para criar mais uma de suas obras primas.

A Origem (Inception) é simplesmente extraordinário, e desconfie de quem dizer que não é, ou que é um filme overrated. O longa de 2010 estrelando Leonardo DiCaprio conta a história de um grupo de ladrões de segredos que roubam pessoas através de seus sonhos.

Além disso, o filme se da o direito de ter tudo um pouco. É um Thriller psicológico, um drama, uma ótima narrativa de ação e um excelente filme de mistério. Sinceramente, tudo funciona aqui, desde as atuações, até o longa reconhecer que pode não ser um filme pra todos, apesar de tentar. De fato, muitas pessoas reclamam nos extremos de Inception. Os que não o entendem deliberam xingamentos sobre o filme ser muito confuso. Os que se acham muito inteligentes pra reconhecer a grandeza dele, reclamam que o filme é muito auto explicativo, perdendo algum tempo explicando tudo o que acontece sem dar liberdade para o público tentar assimilar o que está a sua frente. Por que é tão difícil reconhecer algo sem algum desmerecimento? Até porque essa explicação sobre tudo em que o filme ''perde tempo'' nada mais é do que Nolan respeitando e entendendo seus fãs, afinal o diretor levou 10 anos escrevendo o roteiro de Inception.

Aproveitando que falamos de roteiro, temos talvez o melhor da década. A originalidade é surreal, cada cena é inesperada e angustiante e todos diálogos são tão eficientes e profundos que o diretor te convence que tem PHD em psicologia, embora não tenha. E talvez o ''algo'' que deixe o filme tão bom seja a mistura dessa originalidade de 10 anos escrevendo com algo tão simples: Sonhos.

Lembram sobre eu ter dito que tudo se encaixa aqui? Vamos falar um pouco das atuações. Leonardo DiCaprio já havia começado sua busca incansável pelo Oscar aqui e como sempre, é sensacional. Ellen Page mostra confiança no seu personagem mesmo sendo uma leve representação do telespectador aqui, conforme vai conhecendo tudo que está acontecendo ao seu redor e se surpreendendo. Agora basta acrescentar o elenco de Batman o Cavaleiro das Trevas Ressurge. Joseph Gordon Levitt, Tom Hardy, Cillian Murphy, Marion Cotillard, Michael Caine e Ken Watanabe (Batman Begins) trazem o seu melhor pro filme, e além de todos saberem que Tom Hardy é um absurdo, é importante reforçar o quão Gordon Levitt é bom e está ótimo aqui.

Se esse filme já tem tudo pra ser lembrado como um clássico daqui a uns 20 anos (com certeza será), A origem conta ainda com a trilha sonora de Hans Zimmer, que como todos sabemos é um gênio, e se o filme já é tenso por si só, esse cara só contribui para você ficar ainda mais na beira da sua cadeira.

A Origem excede expectativas. Com visuais incríveis, um elenco que da tudo de si e um diretor genial, é criado um labirinto aonde você ficará preso pensando sobre Inception, e que será difícil sair a curto prazo. Se sentir cada vez mais investido pela história é algo natural, e após assisti-lo e procurar entende-lo você, alguma hora ou outra, vai sonhar. Garanta que seus segredos estejam bem guardados. Estamos tentando invadir e descobrir quais os de Nolan.

9,9

Crítica | Memento (Amnésia)

Crítica | Memento (Amnésia)

Crítica | Em Ritmo de Fuga

Crítica | Em Ritmo de Fuga