Crítica | Velozes e Furiosos 8

Crítica | Velozes e Furiosos 8

Poster V8

Com a mesma emoção dos seus últimos dois filmes "The Fate of the Furious" segue com a mesma formula do sucesso. Com um elenco maior, agora incluindo Charlize Theron e Kristofer Hivju como os vilões do filme, ele mantém as cenas de ação, persiste em explosões fora de série e momentos impossíveis de se avaliar pelo lado real. O diretor F. Gary Gray joga na tela diversas lutas, corridas, tudo que um fã da série Velozes e Furiosos realmente espera, mesmo com uma história fraca novamente e atores que talvez não devessem estar ali.

O longa não tem a coragem de dar um verdadeiro destino aos seus personagens, um exemplo para isso é o ator Jason Statham, que por pior que ele tenha sido no filme anterior, a vontade de trazê-lo novamente para contracenar com a equipe de Vin Diesel era maior. Faltou coragem de adicionar o personagem só para um filme como vilão e não manter ele na equipe dos "bonzinhos". As piadas estão bem divididas, algumas ainda fora do ponto mas sempre nas mãos de Tyrese Gibson e Ludacris, embora nesta sequencia estejam mais evidente com The Rock e Statham.

Como dito anteriormente, história fraca, quase sem história pra falar a verdade, extremamente obvia a motivação de Dominic Toreto ao juntar-se com Cipher. O diretor poderia ter mantido um mistério no ar até um pouco mais da metade do filme, mas também seria mais arriscado pois quanto maior a expectativa maior o hate caso não tenha sido alcançada, aí entra a coragem para investir em uma boa história. Os efeitos do filme estão incríveis, se não fosse tão descarado de impossível até daria para acreditar que aquilo realmente pode ser feito. As músicas utilizadas são as de praxe da franquia, colocar efeito musical pode servir para instigar a emoção do telespectador, sendo assim influenciando seus sentidos, mas não se faz isso com músicas altas e sem nenhuma conexão com o que está acontecendo no filme.

Pode ser o melhor filme da franquia até agora, já que não sabemos até quando pretendem continuar com os Velozes. Um longa que aceitou a sua etiqueta de filme de ação com alívios cômicos já que só ação estava muito desgastado e entediante. Bom filme para se assistir sem ter muito o que pensar sobre.

7
   
                                                                               

Crítica | Na Natureza Selvagem

Crítica | Na Natureza Selvagem

Crítica | Despedida em Grande Estilo

Crítica | Despedida em Grande Estilo