Clássicos | Justin Timberlake - The 20/20 Experience

Clássicos | Justin Timberlake - The 20/20 Experience

"The 20/20 Experience" é um retrato ambicioso de todos os talentos de uma artista cheio deles.

Justin Timberlake é, primeiramente, um músico excepcional. Excede cantando, dançando, produzindo, escrevendo e é um dos poucos artistas realmente completos da história musical recente. Seu retorno a música após 7 anos de hiato junto a Timbaland só concretiza isso. Mais consistente, chega a ser assustadora a facilidade com que JT traz o melhor de cada gênero que trabalha em "20/20 Experience".

Um artista tão completo só poderia fazer um álbum ambicioso assim, e isso é o que melhor descreve ''20/20''. Cada uma de suas doze músicas é complexa, descrito como um álbum Neo Soul, é fácil perceber o Groove dos anos 70, misturado ao disco com um toque de artificialidade que apenas os anos 2010 são capazes de fazer.

Basicamente o que JT faz em seu terceiro álbum é aperfeiçoar seu lado Pop (o que parecia impossível), trazer e dar vida ao soul de 40 anos atrás e exceder toda vez que aparecem elementos de R&B.

A produção é inteiramente cuidada por Justin, Timbaland e J-Roc Harmon o que deixa o álbum quase uniforme a cada troca de faixa. É incrível como, não importando a diversidade e a quantidade de gêneros envolvidos, nas mãos de Timberlake tudo parece Pop. 

Explorando parte da vida pessoal do cantor é notório que o amor inspira aqui. O estímulo que Jessica Biel causa em JT cultiva a ambiciosidade do álbum e começa em forma de metáfora. A melhor possível. O amor é uma droga, no sentido químico da frase, pois para qualquer outra interpretação, amar é maravilhoso, e JT traduz isso com seu falsete excepcional. ''Pusher Lover Girl'', sendo sinônimo de amar, é uma linda bagunça, ao começar com uma orquestra em sua introdução, ser conceitualmente um R&B, mas possuir muito ''Funk'' em suas melodias. É a descrição perfeita de como você se sente com aquela pessoa. É a mistura de todos sentimentos dentro de um corpo, no caso uma canção.

Now you got me hopped up on that
Pusher love
So high I’m on the ceiling baby
Your my drug
So gon' and be my dealer baby
Roll me up
'Cause all I want is you, baby

Fora "That Girl" e "Suit & Tie", todas as músicas tem mais de seis minutos, algo que sim, enjoa só de se pensar. Timberlake é genial por conseguir fazer isso funcionar em sua maioria, mas por vezes parece que apenas ouvimos sons e não nos é dito nada. Quase nenhuma letra é realmente lembrável, e isso foi feito de propósito, sendo que não devem funcionar de forma separada de sua produção. 

''Mirrors'' se junta a ''Pusher Lover Girl'' como destaque, quando o amor é mais claro e as músicas parecem ter um fundo emocional forte o suficiente para convencer. É pessoal e uma das performances mais grandiosas e ao mesmo tempo íntimas de JT. Com sua letra própria e particular consegue ser uma explosão de sentimentos e instrumentos e é uma aula de organização por parte da produção. Além de viajar na intensidade de seu amor,  todos os sons ouvidos estão em seu devido lugar e se complementando. Palmas, a orquestra levemente encoberta pela percussão e pelas guitarras, os sintetizadores, os loops vocais que acompanham a voz, aqui, perfeita do cantor. Tudo tem seu espaço e hora certa pra brilhar dentro desses 8 minutos que parecem não existir perto da magnificência de "Mirrors".

"Tunnel Visions" é sonoramente excepcional. Possui uma atmosférica própria, sintetizadores extremamente fascinantes e Timbaland no topo do seu jogo. ''Strawberry Bubblegum'' e "Spaceship Couple" são dois ótimos preenchimentos. ''That Girl'' com seu Soul, Jazz e seus doo-woops é gratificantemente transportadora. ''Suit & Tie'' não é relevante, mas não deixa de ser engajante, sendo uma música tão bem vestida quanto seu nome e tão sedutora como seu cantor, quando Timberlake nos pede "Let me show you a few things". Além disso, um verso de Jay-Z nunca é ruim, o que a tornam um destaque, é claro. 

O principal problema de "20/20" é que é um álbum feito por e para uma mente diferente. Timberlake não quis com esse álbum se aproximar de fãs, ou criar canções memoráveis e novos hits. Mais parece que era sua vontade fazer um álbum complexo e diversificado, pelo puro prazer de fazê-lo e expor o que estava sentindo.

Suas músicas podem ser demoradas e a falta de refrões atraentes pode afastar, mas 'The 20/20 Experience' é um álbum ótimo que só não foi melhor, pois seu criador mais se diverte fazendo música do que propriamente se preocupa com seu resultado final.